sexta-feira, 30 de março de 2012

E agora Demóstenes???


O NasRuas quer saber: 
O que Demóstenes Torres falará?
 Porque não pronuncia a respeito??? 
Não merecemos saber do seu posicionamento??



Por Lúcio Batista, administrador do NasRuas.DF

O senador da república Demóstenes Torres é conhecido por sua veemência nos discursos em que combate a corrupção e exige transparência pública - Um verdadeiro paladino da moral.
Mas, a máscara desse homem público está caindo a cada dia que passa e a sua verdadeira face está se tornando mais e mais visível.

Ele é amigo pessoal de um mafioso dos jogos de azar, Carlinhos Cachoeira.

Até aí o senador ainda poderia se livrar das acusações sobre ele proferidas. Mas como a verdade é uma só e o tempo se encarrega de mostrar os reais fatos, a ligação dos dois vai além de uma simples amizade. Não é pelo fato de Demóstenes Torres ter ganhado do contraventor uma geladeira e um fogão importados no valor de trinta mil reais e nem de ter pedido para o mesmo Carlinos Cachoeira que pagasse o aluguel de uma aeronave, no valor de três mil reais.

As coisas se agravaram depois que descobriu-se que foram habilitados nos Estados Unidos, quinze rádios Nextell distribuídos aos mais íntimos amigos e comparsas do contraventor e dentre eles, claro, estava Demóstenes Torres.

A Polícia Federal vem fazendo escutas telefônicas da quadrilha há mais de três anos e agora as gravações vão se tornando públicas. Graças à tecnologia que a PF tem em mãos, os rádios americanamente habilitados foram grampeados, jogando por terra a certeza da quadrilha de que esses jamais seriam grampeados.

Numa das inúmeras gravações entre os dois “amigos”, fica claro que Demóstenes Torres usava seu mandato de senador da república para dar informações privilegiadas ao contraventor, além de fazer trocas de favores recebendo inclusive altas quantias em dinheiro.
Outras conversas confirmam a influência de Carlinhos Cachoeira na indicação de nomes para o primeiro escalão dos governos do Distrito Federal e Goiás, sempre com uma “mãozinha” do falso moralista Demóstenes.

Ninguém consegue ser Deus e diabo ao mesmo tempo.

A máscara sempre cai mais cedo ou mais tarde. E para o senador (por poucas horas) Demóstenes Torres, a máscara caiu como uma bomba sobre aqueles, que como eu, imaginavam tratar-se de um dos raros defensores leais da democracia brasileira.

Que o destino desse senhor seja definido o mais rápido possível. E se todas as provas até agora apresentadas forem verdadeiras e incontestáveis, que ela seja jogado na cela do esquecimento e que sua passagem pelo Senado Federal seja uma página queimada no livro da República Federativa do Brasil.

Nenhum comentário: